domingo, Março 21, 2010

Espumantes Brasileiros

Antes de mais, tenho que mencionar neste pasquim, que não é todos os dias que somos confrontados com uma colecção de espumantes vindos de outro lado. Oriundos do outro lado do Oceano. Deve-se tudo ao esforço de um homem que fez das tripas coração para que alguns bloggers portugueses (Pingas no Copo, Copo de 3 e Pingamor) pudessem medir o pulso ao que se faz nas terras verde e amarelo.

Não irei alongar-me em articulados extensos ou notas de prova, mais ou menos monótonas, porque o que interessa marcar são meia dúzia de considerações rápidas e directas.

A ideia, em termos gerais, era fazer um comparativo com alguns dos nossos espumantes (Quinta do Cabriz 2007, Vértice Gouveio 2004, Murganheira Super Reserva 2004, Caves Montanha Arinto&Chardonnay Super Reserva 2003, Kompassus Blanc de Noirs 2006 e Quinta de Baixo Bruto Natural 2006).

A título pesssoal, estava bem mais interessado no que vinha de longe: Villaggio Grando Brut, Cave Geisse Nature 2007, Miolo Millésime 2006, Ponto Nero Reserva Extra Brut, Salton Evidence, Chandon Excellence Cuvée Prestige, Valduga 130 Brut. O resto serviu simplesmente para encher a mesa.
Uma panóplia de espumantes brasileiros que, apesar das diferenças inerentes a cada um deles, pautaram-se pelo equilibrio, pela graciosidade e frescura. Alegres e bem trabalhados (não estava à espera). Destinados ao aperitivo, à comida ligeira. Ideais para serem ingeridos com uns acepipes ou, simplesmente, para acompanhar dois, três ou mais dedos de conversa.

Quando a empresa terminou, já pela madrugada, percebia-se que o Miolo Millésime era o vencedor.  Eu, embrenhei-me com ele, de tal maneira, que esqueci, durante algum tempo, o que se passava em redor da mesa. Raios, era um belo vinho, um belo espumante. Fino no trato, com uma delicadeza e apuro capazes de cativar o mais desatento. Como disse uma vez: Mandem para cá que eu compro.

Post Scriptum: Gostei, e muito, de um patinho feito chamado Caves Montanha e fiquei desiludido com o Kompassus Blanc de Noirs. O Vértice Gouveio é um espumante para a comida. Pujante e fresco.

Sem comentários: