sábado, fevereiro 15, 2014

Kompassus & Companhia

Não, não acredito em linhas perfeitas desenhadas por compassos, réguas e esquadros. As linhas traçadas com o auxilio de tais instrumentos são meras ilusões de perfeição. Enganam, iludem e confundem. Elas não são o que aparentam ser. Apenas, e por causa da cegueira em que vivemos, fingem ser aquilo que nunca serão: linhas sem defeitos.



Aprecio, muito mais, uma linha traçada por uma mão livre e nua. As suas imperfeições são genuínas, não enganam. Não iludem e não fingem ser uma coisa que não são. São imperfeitas e ainda bem.

Sem comentários: