quarta-feira, Março 28, 2012

Contraditórios (III) Radix

É conhecido pelos autores, do vinho, que não morria de amores por este tinto da Quinta da Bica. Logo este contraditório serve, antes, como puro acto de contrição pública. Não ficaria com a consciência sossegada, se não o fizesse. A César o que é de César.


Se no passado o dito não me sugeria qualquer comentário de valor relevante, hoje foi capaz de fazer-me pegar no copo incessantemente. Pareceu-me vinho de timbre piano, harmónico, com alguma esbeltez.


Posto isto, tenho o despalante em dizer que o passado e presente não têm, neste momento, qualquer ponte de contacto.

1 comentário:

Elias Macovela disse...

Boa Pingus,há uns meses também rendi-me ao seu encanto.

Abraços,
Elias