sábado, novembro 13, 2010

Coitado do Consumidor!

Consumidor, esse ser indiferenciado e influenciado pelos críticos, que pouco ou nada pensa e que, sistematicamente, é manipulado por esse bicharrão chamado Sistema. Escondem tudo ao consumidor, fazem-lhe trapaças. Enganam-no.
Coitado do consumidor que não pensa convenientemente. Malditos aqueles que insistem em não divulgar a verdade, em não revelar a realidade. Mas quem quer?
Preverso este mundo, empaturrado de homens de negro encarregues de, à mínima suspeita, impor o silêncio aos que corajosamente arriscam gritar contra os dogmas do Sistema.

O consumidor, esse papalvo, olha para os dois lados da barricada e pressagia que se trata de uma contenda, simplesmente, entre dois Sistemas. Nesse duelo, por vezes combinado, a regra é simples: Um quer fingir substituir o outro, mantendo o consumidor bem longe do poder. Pelo meio, terra de ninguém.
Revoluções? Há muito que o consumidor deixou de acreditar. Crê, antes, na individualidade.

17 comentários:

j... disse...

ainda assim, o consumidor compra mais e melhor vinho que há 20 anos atrás, pelo mesmo preço.

bons motivos para ficar contente, imagino.

quanto ao resto, não me faz os dias, pelo que pouco tenho a adiantar. apenas, e perdoem-me o tom vago, que todos têm direito à vida, independentemente de como a levam. pois se estes vivem disso e assim, que sejam muito felizes e tudo lhes corra bem.

é este o conforto de estar na pele de um simples consumidor: ganha comparativamente pouco, e nem sempre como quer, mas ganha, nota-se que tem vindo a ganhar, e sem investimento, esforço ou responsablidade.

afinal, não é bom poder viver o vinho sem o stress de viver do vinho? eu acho.

Pingus Vinicus disse...

J..., o teu post serve, e bem, como remate final ao meu.

Nuno disse...

Tudo dito e concordo em pleno.

Hugo Mendes disse...

Interessante perspectiva! Concordo com grande parte, só não aceito que o consumidor seja coitado! Eu acho que o consumidor tem o que merece e aguarda-lhe um futuro pior!
O consumidor é quanto a mim o grande regulador de toda cadeia a montante do consumo! Ao “desresponsabilizar-se” desse papel está a permitir que todos os outros lutem para dominar, seja com que armas forem.
Mais uma vez é uma questão de dimensão. Não temos consumidores de qualidade em quantidade para regular o sector!
O que podemos fazer? Filhos! ; )

Pingus Vinicus disse...

Hugo claro que o consumidor não é o coitado. O consumidor é, também, o responsável. Aliás a expressão de coitado, usada por mim, era em tom jocoso.
É pela individualidade que terá de haver avanços, ao bom estilo de Erasmo de Roterdão.

Não creio nas boas vontades de muitos que querem mudar o sistema. Querem, de facto, tomar o Poder, substituindo uma lógica por outra que é IGUAL.

Sobre filhos, eu fiz a minha parte. :)

Antonio disse...

Concordo que o mercado português ou que o mundo dos enofilos portugueses têm um tamanho muito pequeno. Varios indices demostram isso. So para dar um exemplo, quando vou ao forum da RV ou não la encontro ninguem conectado, ou uma ou duas pessoas, enquanto se for a um forum similar francês encontro centenas de pessoas conectadas. Ainda agora fui a este forum francês e estavam conectadas 144 pessoas!
E apenas um exemplo mas apesar da diferença de tamanho dos paises da para perceber que existe a nivel da enofilia um "gap" cultural. E isso leva anos ou decadas para construir.

http://www.lapassionduvin.com/phorum/index.php

Como disse o Hugo resta-nos a fazer filhos. Pessoalmente tenho o primeiro (a primeira?) a caminho :)

Pingus Vinicus disse...

António, epá parabéns. Isso dá motivo para festa. ;)

Antonio disse...

Bem haja!
Pois da :)

Hugo Mendes disse...

Hummm!
Não foi um pouco isso que fizeram o Parker e o Gary V?
As mudanças que ocorrem dessa forma são naturais e podem vingar! As outras, ou se esfumam antes de se concretizarem, ou deitam fumo pouco depois (entenda-se gases de compostagem!).
Concordo contigo, na entrelinha, há muito boa gente que aparenta lutar pela cadeira, não pela mudança ; )
Mas como disse Luís Pato e muito, muito bem… “é a vida”!

João de Carvalho disse...

Hugo mas tu pensas mesmo que em Portugal a coisa muda ? ou quem deve mudar faz para mudar mesmo alguma coisa ? Os que são pagos pelo estado para divulgar o vinho divulgam mesmo ? O consumidor normal que não exigente sabe o que é um Porto Vintage ou a diferença entre um Tawny e um Ruby ? Em Espanha todos sabem o que é uma Manzanilla, em França todos sabem o que é um Sauternes... em Portugal todos sabem o que é um Porto Colheita ? Aqui no pedaço falta cutlura vínica, mas para se ter essa cultura faz falta ter a outra, faz falta tanta coisa que os que escrevem sobre vinho acabam por escrever uns para os outros...

Sempre aprendi que quem detém o poder gosta que as massas sejam "burras", para poder reinar à vontade, quanto menos souberem menos questionados são... o problema é quando começam a ser questionados e quem está do outro lado sabe tanto ou mais...

Os blogs foram os chatos que começaram a questionar aqueles que gostavam que os consumidores fossem burros, os pilares do sistema moram entre Publicidade - Imprensa - Notas de Prova a quem Publicita

E Hugo, acompanho o Gary V. desde que começou, cheguei a participar no fórum, quando aquilo começou a cheirar a comercial abandonei o barco... grande parte das acusações que nunca foram explicadas seriam que as provas deixaram de ter o caminho que tinham inicialmente e entraram no sistema de mostrar o produto que convém mostrar que chega à loja, mostrar o produto dos produtores que pagam para lá ir e para o vinho ser mostrado... isso faz-se em muitos outros sítios, senti o perder aquela chama... talvez ele tenha arranjado a tal cadeira, ou no caso, sofá.

Pingus Vinicus disse...

De facto "é a vida", agora não nos iludamos com o acenar de revoluções, mudanças, alterações de status quo.
Basicamente é o individuo, por si só, que tem que querer mudar e não nos esqueçamos de que grão a grão enche a galinha o papo. :)

Hugo Mendes disse...

João,
Sabes bem que não partilho desse teu pessimismo desresponsabilizante (acabei de inventar outro termo!).
Sei que é difícil, mas já muitos fizeram mais com muito, muito menos!
Pessoalmente, (entendo que possa ser mal interpretado muitas vezes, mas) confesso que não me revejo ma maior parte dos modelos que regem a nossa sociedade. Não pactuo com realidades só porque a sua origem se perde no tempo nem tenho paciência para o “faz-se assim porque sempre se fez assim!”. Não gosto de vacas sagradas e muito menos de bois… Sou Ribatejano… o instinto é logo pega-los de caras!
Nesta medida, penso que tenho o direito de me expressar contra o que quer que seja.
Grandes mudanças… grandes revoluções! Gostava… pois claro que gostava, mas não tenho tempo nem paciência para alinhar na frente disso e desconfio da pureza das intenções de quem normalmente está para a cadeira!
Consegui entender, em boa hora, os limites da minha liberdade mas também os meus direitos! Não sofro de medos fantasiosos e não gosto de teorias da conspiração! Gosto de observar a obra e não tanto o artífice!
O meu blog dá-me um gozo enorme faze-lo e tenho a certeza que, mal tenha o tempo e a disponibilidade financeira, o levarei onde pretendo!
Se depois isso é uma revolução ou não! Se é grande ou não, … para mim será! Vamos ver para o mundo (LOL)!
No fundo, será como o Pingus diz:
“… pela individualidade que terá de haver avanços, ao bom estilo de Erasmo de Roterdão.”
Nada mais simples! Nada mais certo!
Mas não basta querer……

João de Carvalho disse...

Sábias palavras que ritmadas diziam.. se queres mudar o mundo, muda-te a ti primeiro.

PS: Devias oferecer um par de cornos ao primeiro anónimo que viesse responder no teu blog. Era uma prenda bonita e até podíamos fazer uma gala para os entronar... ou será encornar ?

Hugo Mendes disse...

João,
Nalgumas leituras, concordo contigo! na minha é mais... fazer o que me faz sentir bem e util! partilhar aquilo que vou aprendendo e promover discussão do que vou pensando! é mais partilha e crscimento conjunto! acho eu! (ou solidão de adega, eh, eh!)

Boa Ideia, mas os anónimos no meu blog têm sido cordiais kb...até agora!
fica a dívida! Será mesmo encornar?

João de Carvalho disse...

Hugo se cada um de nós partilhar um pouco daquilo que sabe, certamente teremos todos muito a aprender.

PS: Quanto aos anónimos, repito que não são todos, que não se preocupem, no caso de reclamação nós fazemos por medida.

Pedro Sousa P.T. disse...

"Eu, consumidor me confesso..." Já tenho levado uns estálos por causa do sistema. É verdade. Mas também já tenho conseguido contornar o sistema, e ter-lhe feito uma careta por trás, assim em estilo de falsa fé. Pena é não fazer mossa, mas ao menos fico feliz. Epá consegui enganá-lo. Lindo!!!

Abraço.

PS: Pingus, tinhas que escrever qualquer coisa neste post, pois está bem esgalhado.

Pedro Sousa P.T. disse...

...continuação de PS: Não queria dizer "tinhas", mas sim tinha, ou seja eu tinha de...
Sorry