domingo, outubro 03, 2010

Graham's Vintage 1970

Um Porto que foi estudado, analisado e discutido. Os conselhos recebidos, ao longo do ano, eram consensuais. Para o pretendido, comemorar 1970, ele era o mais indicado. A título pessoal apenas retinha na ideia que o ano tinha sido bom e que haveriam, em alguns cantos, vinhos com interesse, com o Dão e Bairrada a marcarem pontos.
Conjugar em público meia dúzia de acções, sobre vinhos deste volume e grandeza, bastavam para acintar o resto do povo enófilo. Na verdade, o que interessa, para mim neste momento, é agradecer os conselhos recebidos. O resto serão migalhas.

Sobre o vinho, se é que interessa, revelou complexidade enorme, em que os aromas deambulavam, discretos, pelo ar. Poderia enumerar diversas coisas, mas julgo que não alcançaria, não conseguiria descrever, com exactidão tudo o que aconteceu. Gotinhas, pequenas porções, iam sendo devoradas lentamente, tentando afastar o mais possível o inevitável fim.
A classificação, essa, assenta num enorme número de variáveis subjectivas e carregadas de simbolismos pessoais. Nota Pessoal: 18,5

3 comentários:

Pedro Sousa P.T. disse...

Falando de "simbolismos pessoais" este vinho é nem mais nem menos do que o do meu ano. O ano em que eu nasci.
Infelizmente, este ano, não tinha nenhuma garrafa de 1970 para abrir e comemorar, por pena minha, pois despertei um pouco tarde para estes sentimentalismos. Fiquei-me por um LBV Ferreira de 2000. Nada mau. Sim porque se fosse à procura de um vintage de 40 anos, ia largar o "belo". E sendo assim fiquei-me por um vinho de 10 anos .
Mas para me precaver para outras ocasiões vindoras, já armazenei um Vintage do ano do meu casamento, e outro do ano do nascimento da minha filhota. Não quero ter a consciência pesada de passar uma ocasião emblemática sem festejar convenientemente. Lamechices!!!


Abraço

Pingus Vinicus disse...

Pedro, bem vindo ao ilustre club de 70, que por sinal é um belo ano. :)

abraço

Joao Barbosa disse...

eheheheheh... andamos com uma boa vida, tu e eu ;-)