domingo, Abril 18, 2010

Clos du Marquis 1998 & Domaine Grand Veneur 2008

Para quem, como eu, que pouco conhece do que se faz lá fora, é com enorme alegria e contentamento beber, sim beber, vinhos de outras paragens. Diria que caiem, sobre mim, inúmeros tiques próprios de uma criança. E continuo a deleitar-me com as listas, que surgem na rede, cheias de nomes estranhos? Deste mundo ou de outro?
Graças a um enófilo, com as mesmas raízes que as minhas, tive a oportunidade de enriquecer o meu portefólio. António Madeira, obrigado.

O primeiro, isto é o tinto, apresentou-se no copo de forma cordata, revelando uma postura muito equilibrada. Perfumado, seco e com nobres sinais de evolução. Cheio de especiaria, carregado de impressões clássicas que reportavam a memória para os prosaicos armários velhos, limpos com cera. Fruto seco, açúcar em pó. Sabor macio, distinto e bem vestido. Nota Pessoal: 17
O branco exibiu, ao povo presente, um conjunto de comoções florais. Em termos de comparação, a imagem mais correcta seria a de uma mancha de flores brancas e amarelas. Estão a ver o cenário? Levemente doce e penetrante. Fruta a pender para a pêra e o vegetal a sugerir hortelã. Toque de aniz.
Corpo com alguma gordura, com alguma compleição. Com mais um poucachinho de acidez e de vibração teria bebido mais outro trago, ainda assim simpatizei com o dito. Nota Pessoal: 16

3 comentários:

Antonio disse...

Amigo,
Para mim tb foi um prazer partlhar estas garrafas e momentos contigo!
Havemos de repetir isto mais vezes!
Um abraço desde Paris!

Conde das Barrocas disse...

Penso que o meu comentário anterior não chegou, sou mesmo lerdo nestas coisas da net.
Mas tudo isto para dizer que a partir de hoje não vou mais ser anónimo e vou adaptar um nome para os meus comentários.
Conde das Barrocas.
É que o que tenho lido em blogs de vinhos é realmente já maçador pois gira tudo em volta do mesmo, e são sempre os mesmos, frutos maduros, verdes, secos,pimenta, nós moscada, acafrão,compotas mel e que mais, tudo mas tudo menos o sabor a vinho.
Pelo menos que escrevessem também sobre coisas bonitas que os olhos vê até para aliviar os comentários.( Honra seja feita ao Pingas )
Cá fico à espera para tomarmos um copo juntos,e lhe poder mostrar algumas coisas que são apenas uma forma diferente de escrever sobre vinhos.
Um abraço.

Pingus Vinicus disse...

Estimado Conde, não me vou esquecer do repto lançado no que respeita a um encontro.

Vá ao meu perfil e envie-me um mail para podermos falar.

Um abraço
Rui Miguel Massa