quinta-feira, março 04, 2010

Casa da Passarela (Dão) Tinto Reserva 2007

É um mimo andar a defender uma ideia, um estilo, e reparar que até mesmo uma casa tradicional do Dão consegue fazer derivações ao passado, à sua história.
Quem era capaz de prever que a Casa da Passarela colocasse cá fora, no mercado, um vinho repleto de tiques urbanos e orientado para ser consumido pela malta nova? Estaremos perante o primeiro sinal de mudança de percurso em que o destino final será a uniformização?
Independentemente do que eu acho, ou não, fiquei pasmado, quiçá meio desordenado com o que bebi. Era, efectivamente, algo que não estava à espera.

Um vinho tinto (Touriga Nacional & Tinta Roriz) rechonchudo, que soube bem na primeira abordagem. Directo no trato e sem complicações. Linguagem simples e universal.
Aromas e cheiros a tenderem para uma mistura entre a madeira (??) e a fruta. Chocolate, tabaco e fumaça combinados com carradas de fruta vermelha. Ideal para uma cavaqueira entre mortais comuns e sem ambições de outra índole. Nota Pessoal: 14,5

1 comentário:

Anónimo disse...

Universo Vines e Wines?