terça-feira, Setembro 19, 2006

Assemblage

Depois ter deixado as areias de Fernando Pó, subi um pouco mais acima e parei na Quinta de Pancas, na "Zona Alta de Alenquer". Um produtor da nossa Estremadura. Em tempos passados, bebia com alguma regularidade o chardonnay& arinto. Os monocastas criados, nesta casa, sempre foram interessantes. Tenho boa memória do Merlot 1999, do Cabernet 1997 e do Touriga Nacional 2001. Por lá trabalha/trabalhava o enólogo Rui Reguinga.
Adormecido pelo clima tristonho das feiras de vinhos que estão a decorrer nas diversas áreas comerciais, arranquei da prateleira um Quinta de Pancas Assemblage (tn) 2003. Pareceu-me diferente, no meio de tanta coisa sem interesse. Um vinho construído com touriga nacional, cabernet sauvignon e merlot. Um lote curioso. Duas castas francesas lado a lado com a nossa casta rainha. Antes de entrar na garrafa passou por carvalho francês e americano.
Na primeira cheiradela, os vegetais apresentaram-se. Acompanhavam com compinchas de perfil balsâmico. Fresco, airoso. Mais tarde, sem fazer grande alarido, o mineral veio cumprimentar-nos. A fruta que tardava a surgir, lá veio. Silvestre e fresca.
Na boca, suave, vegetal, balsâmico e fresco. Sempre alegre e bem disposto. Final mediano. Curioso este vinho. Um toque afrancesado.
Nota Pessoal: 14,5

2 comentários:

Luis Marques disse...

Costumo comprar o Cabernet Sauvignon. Até agora não tenho falhado nenhum ano. O Pancas (rótulo azul) também gosto de beber. Acho que são ambas boas opções. Muito certinhos. Os monocastas muito caros.

Agora o Assemblage é vinho que nunca tinha visto. Fiquei curioso.

Abraço

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Rui,

Maravilhoso está o "QP Premium (T) 2003", mas anda muito caro (sobretudo pela especulação).

Outra opção é o "QP Reserva Especial (T) 2003", é fantástico e vale o preço (carote... quase € 30).Já o "QP Único 2003" não me gusta tanto.